Como escolher o gato certo para si?

Tomou a decisão de receber um gato no seu lar e sente a excitação no ar! Contudo, quer seja um dono novato ou com bastante experiência, é importante assegurar a escolha do gato certo para si.

De um criador ou de um abrigo?

Com frequência, o primeiro passo a dar após assumir que quer ter um gato é decidir se o deve comprar a um criador ou recorrer a um abrigo para animais abandonados. É óbvio que a terceira opção é alguém tomar essa decisão por si. Essa terceira via dá-se quando alguém lhe oferece um gato ou quando é escolhido e adotado como dono por um gato que, literalmente, apareceu à sua porta! Quando lhe cabe a opção de escolher onde pretende ir buscar o seu gato, um criador pode disponibilizar um nível de conhecimento e um histórico que será difícil obter de um abrigo. Regra geral, pode assumir que o gato é proveniente de um bom ambiente e que foi devidamente socializado enquanto gatinho. O criador pode também fornecer-lhe informações específicas sobre a raça, bem como um histórico de problemas genéticos ou hereditários. Ir buscar o seu gato a um abrigo, por outro lado, significa proporcionar um lar a um animal que, provavelmente, passou momentos difíceis e que irá responder bem a amor e atenção. Pode ou não conhecer o histórico do animal, contudo, todos os abrigos para animais de qualidade realizam uma avaliação comportamental e tentam encontrar correspondência entre as necessidades do gato e o potencial lar de acolhimento. Para além do mais, a maioria dos gatinhos e gatos realojados de abrigos para animais foi sujeita a rigorosos exames clínicos e, regra geral, foi esterilizada, vacinada e desparasitada.

Um rafeiro doméstico ou uma raça específica?

O temperamento e a personalidade são fatores extremamente importantes no momento de decidir que tipo de gato deseja para partilhar a sua vida. Muitos gatos de raças específicas possuem caraterísticas de temperamento hereditárias, o que pode ser um bom indicador de previsão, útil para tomar a sua decisão. No entanto, infelizmente, não existem garantias! O debate antigo que opõe natureza e educação adequa-se na perfeição ao caso dos felinos. O período de socialização dos gatinhos, bem como o treino recebido no primeiro ano de vida, constituem fatores chave que influenciam o temperamento adulto do animal. Os gatos domésticos de pélo curto ou longo podem não exibir fortes influências de raça no temperamento, mas as suas personalidades são tão individuais como as de qualquer outro gato, estando também sujeitos às mesmas influências de treino e ambiente.

Gatinho ou gato?

Os gatinhos são uns montinhos amorosos de pêlo e malandrice, mas exigem muito tempo e paciência. Se decidir dar as boas-vindas a um gatinho no seu lar, prepare-se para lhe dedicar diariamente tempo suficiente na tarefa de o ajudar a tornar-se um gato saudável e feliz. A maioria dos gatinhos adquirida de criadores e abrigos já terá, pelo menos, iniciado o treino da caixa de areia, que terá de ser continuado. Adicionalmente, os gatinhos precisam de aprender que usar as garras e os dentes nas brincadeiras com os humanos não é a melhor forma de interação, sendo que este treino de atitudes demora tempo e requer paciência. A boa notícia é que os gatos aprendem depressa e os gatinhos adotados numa idade tenra desenvolvem laços mais estreitos com os seus companheiros humanos, particularmente quando não existem outros felinos em casa. Os gatos adultos e mais maduros, por outro lado, já apresentam personalidades e temperamentos bem definidos, o que pode ser útil ao decidir se correspondem ao perfil de gato desejado, bem como ao ambiente que lhes pode ser proporcionado. Os gatos adultos têm a vantagem de já estarem treinados para usar a caixa de areia e socializados na interação com humanos. Contudo, tal não é um facto garantido, uma vez que tudo depende do histórico do animal, apesar de serem raros os casos em que esses aspetos se tornam problemáticos. De um modo geral, os gatos adultos também são capazes de se adaptarem facilmente ao novo lar, em particular se o ambiente for semelhante ao que estão acostumados.

Estilo de vida

Este é provavelmente o fator determinante mais importante a considerar quando se trata de escolher o gato certo para viver consigo. Quer trabalhe fora de casa em horários alargados, esteja reformado ou tenha um lar cheio de crianças, é essencial que o seu estilo de vida se adeque ao gato que deseja receber na sua vida. Tal como as pessoas, alguns gatos estão habituados a crianças e apreciam a sua companhia, enquanto que outros preferem uma vida mais sossegada. De um modo geral, os gatos são animais solitários e adaptam-se melhor se viverem num lar onde sejam o único felino. Tal é especialmente verdadeiro quando pensa trazer um novo gato para casa e já tem um felino residente . Outras considerações pertinentes são: se pretende um gato que viva dentro de casa ou se prefere um que possa andar livre no exterior. Os gatos que vivem dentro de casa exigem mais tempo e atenção porque dependem do dono para brincar, para se exercitarem e para os ajudar a satisfazer outros comportamentos naturais que possam ser restringidos pela impossibilidade de se movimentarem no exterior, como caçar e apurar os comportamentos predatórios. Os gatos de exterior, por outro lado, podem revelar estes comportamentos mais prontamente, mas também estão mais expostos a riscos decorrentes de lutas, de "roaming" (comportamento dos gatos que se afastam do seu território) e de acidentes rodoviários. Logo, a localização da sua casa e o ambiente circundante são também aspetos a ter em conta.

Em suma, a decisão de incluir na família um residente felino é um grande passo e constitui motivo de entusiasmo. No entanto, para tentar mitigar potenciais problemas comportamentais a longo prazo, é necessário considerar antecipadamente todos os diferentes elementos da sua casa e estilo de vida na hora de escolher o gato que melhor se adapta à sua família.

Banhos e tosquias do seu gatinho

DESCUBRA O ALIMENTO PRO PLAN® PARA O SEU GATO