Comportamento felino: agressividade

Tal como os seres humanos, os gatos são indivíduos e, dado que não é possível a comunicação verbal direta, é necessário um esforço para compreender o seu comportamento e linguagem corporal, de modo a comunicar de forma eficaz e viver em harmonia.

Porque é que o meu gato se tornou repentinamente agressivo?

Existem muitas razões para a agressividade repentina do seu gato, sendo que a mais comum é o animal sentir dor. É frequente os gatos conseguirem disfarçar a dor muitíssimo bem. Por exemplo, apenas recentemente se passou a reconhecer o problema generalizado da artrite nos felinos. Tal sucede porque, muitas vezes, o sinal mais comum de artrite felina traduz-se na relutância em saltar para superfícies ou subir escadas. Os abcessos originados por lutas são um motivo comum para desencadear graves alterações comportamentais nos felinos. As fases iniciais de um abcesso não são aparentes quando vistas do exterior, mas é visível um amolecimento significativo dos tecidos na área onde o abcesso se desenvolve. Caso essa área seja inadvertidamente tocada ao fazer festas e carícias, o animal pode reagir de forma dramática e compreensivelmente agressiva.

Caso suspeite de um quadro doloroso ou o gato se torne subitamente agressivo sem motivo aparente, é muito importante consultar o veterinário para realizar um exame clínico completo.

Porque é que o meu gato de repente me morde e arranha quando lhe faço festas?

Se o seu gato estiver em boa forma, saudável e livre de dor, pode por vezes acontecer que, sem motivo aparente, ele se vire a si com as garras de fora ou os dentes arreganhados. A boa notícia é que existe sempre um motivo subjacente a tais comportamentos, tratando-se apenas de averiguar a sua origem.

A maioria dos gatos aprecia festas e carícias, contudo, não gostam de se sentir presos. Se o gato saltar para o seu colo quando estiver sentado, tal pode simplesmente dever-se à perspetiva de um poiso quente e confortável para se aninhar. Nessas situações, os gatos normalmente toleram um determinado nível de carícias, mas os donos muitas vezes relatam ataques repentinos, mordidelas e arranhões, seguidos do afastamento do animal. Tal acontece porque os gatos consideram o ser pegado ao colo como uma retenção forçada que não apreciam. Se observar atentamente o seu gato, irá verificar que existem sempre alguns sinais de aviso antes de se chegar a esse ponto. Se parar de fazer festas ao primeiro sinal de aviso, ou até mesmo ao segundo ou terceiro sinais, é provável que o gato permaneça no seu colo e ninguém sofra ferimentos. Será assim porque, quando o animal tentar ativamente alertar para o seu desconforto, o dono será capaz de ler corretamente os sinais. No entanto, se ignorar os sinais e insistir nas carícias, o animal eventualmente irá recorrer a formas de comunicação mais agressivas, implicando os dentes e/ou as garras.

Quais são os sinais de aviso de que o meu gato não está satisfeito?

Quando um gato se sente nervoso e agitado, quase sempre mexe a ponta da cauda. Esse movimento torna-se mais óbvio à medida que a irritação do animal cresce e o seu corpo acumula tensão. Para além disso, pode virar as orelhas para trás ou espalmá-las de encontro à cabeça. Se conseguir observar o focinho do gato, irá reparar nos olhos bem abertos e nas pupilas dilatadas. Todos estes sinais representam muito claramente o desconforto do gato e, caso repare em algum deles ao acariciar o animal, pare o contato de imediato.

Principais sugestões

1. Nunca tente imobilizar o gato se existirem sinais ativos de insatisfação.

  •  • Se houver necessidade de o imobilizar, garanta a sua segurança e a do animal. Por exemplo, use uma toalha ou peça a alguém para o ajudar a segurar o gato quando tiver de lhe administrar medicamentos por via oral.

2. Tente encorajar brincadeiras seguras e jamais use os seus dedos ou dedos dos pés para incentivar o gato a atacar, nem mesmo se for um gatinho. Caso o faça, apenas estará a transmitir-lhe a mensagem de que os seus dedos são peças de caça!

3. Nunca bata nem grite ao seu gato, mesmo que lhe tenha mordido ou arranhado. Se o fizer, pode contar com um comportamento amedrontado do animal, piorando a situação inicial.

4. Recompense em todas as ocasiões o bom comportamento e ignore qualquer comportamento que não deseje ver repetido.

Gatos no cio: um guia

DESCUBRA O ALIMENTO PRO PLAN® PARA O SEU GATO