Como detetar se o gato sofre de uma alergia

Ocasionalmente, todos os gatos coçam e mordem a pele. Contudo, se o animal se coçar, lamber, morder ou perder pelo persistentemente, pode tratar-se de sinais de uma doença cutânea alérgica. À semelhança das pessoas, as alergias nos gatos podem ser provocadas por uma série de agentes. Compreender os tipos de alergias que ocorrem nos gatos pode ajudar a decidir quando deve procurar assistência imediata do veterinário e alívio para o animal.

O que é uma alergia cutânea?

As alergias constituem uma das causas mais comuns dos problemas cutâneos nos gatos. A doença cutânea alérgica (também chamada dermatite alérgica) ocorre quando o sistema imunitário do animal reage exageradamente a uma substância particular (designada "antígeno"), originando sintomas como vermelhidão, inchaço, calor ou dor.

As substâncias mais comuns responsáveis pelas alergias cutâneas nos gatos são:

  • - alergénicos inalados (como pólen ou ácaros)
  • - alergénicos de contacto
  • - pulgas
  • - certas proteínas dos alimentos.

Os sintomas de doença cutânea alérgica são:

  • - comichão intensa e prolongada após a exposição do gato à substância alergénica
  • - vermelhidão e lesões em áreas da pele afetada (provocadas principalmente por coçar, lamber e morder constantemente)
  • - infeções de pele causadas por bactérias (originando comichão adicional e o aparecimento de pústulas e crostas)

O diagnóstico pode ser dificultado pelas muitas causas possíveis da dermatite. Para identificar a causa da doença cutânea alérgica, o veterinário recorre ao historial clínico do gato, ao padrão e frequência dos surtos de comichão e à eliminação das restantes potenciais causas.

Se a causa suspeita da doença cutânea forem partículas inaladas (como pólen, relva, ácaros do pó e bolores), o veterinário realiza um teste, injetando uma pequena quantidade do alergénico na pele para identificar as reações alérgicas do animal.

Nos casos em que uma alergia à alimentação seja a causa suspeita dos problemas, podem fazer-se tentativas de eliminação de ingredientes da dieta para descobrir qual o componente alimentar responsável. Durante o teste de eliminação de alimentos, o gato é alimentado exclusivamente com uma dieta baseada em ingredientes aos quais nunca havia sido exposto, ou com uma dieta em que a fonte de proteína é decomposta (hidrolisada) em unidades mais pequenas, sem a capacidade de despoletar uma resposta imunitária. Esse procedimento "elimina" todas as potenciais origens de alergénicos alimentares da dieta. Essa "dieta especial" é fornecida ao gato durante 8 a 12 semanas, sendo o animal observado regularmente para registar a redução dos sintomas de reação alérgica. Se o gato evidenciar uma redução óbvia ou a total ausência dos sintomas (isto é, se a comichão parar), considera-se esse facto como indicador de alergia alimentar. Caso não se registe alteração nos sintomas, mas continue a suspeita de alergia alimentar, pode ser necessário um novo teste de eliminação de alimentos recorrendo a uma fonte alimentar diferente. O diagnóstico é confirmado alimentando novamente o gato com a dieta original e observando a recorrência dos sintomas (ou seja, comichão).

Pode ajudar a limitar o risco de reações cutâneas associadas à sensibilidade alimentar se fornecer ao animal uma dieta com um número restrito de fontes proteicas, como a alimentação seca PRO PLAN Delicate, ou com níveis adaptados de ácidos gordos essenciais ómega 3, como a alimentação PRO PLAN Nutrisavour Delicate.

Alergias alimentares nos gatos

DESCUBRA O ALIMENTO PRO PLAN® PARA O SEU GATO