Ficheiro de factos sobre o Vírus da imunodeficiência felina (FIV)

O Vírus da imunodeficiência felina (FIV) é uma infeção viral grave nos gatos. Apesar de ser semelhante ao HIV (SIDA) nos humanos, o FIV é específico da espécie, o que significa que apenas se transmite entre gatos e não aos humanos ou outros animais.

O que é o FIV?

O Vírus da imunodeficiência felina (FIV) é um lentivírus. Os lentivírus tipicamente provocam uma progressão lenta da doença e, por isso, os gatos infetados podem permanecer saudáveis durante muitos anos antes de manifestarem sinais da doença. Após um gato ser infetado com o FIV, a infeção é geralmente permanente e incurável.

Como é que o meu gato pode contrair FIV?

O FIV está presente no sangue e saliva dos gatos infetados, mas não consegue sobreviver durante muito tempo fora do corpo, sendo necessária uma dose elevada para provocar infeção. Não é facilmente transmissível entre dois gatos. A forma mais frequente de disseminação do FIV é através da mordedura de outro gato, em que o vírus na saliva do gato infetado é diretamente introduzido no sangue do gato que morde. Por esse motivo, a probabilidade de infeção é maior nos gatos macho que lutam. Visto que o vírus não é transmitido pela comida, comedouros, camas ou mãos, a disseminação do vírus em grupos de gatos que não se envolvem em lutas é altamente improvável. Ocasionalmente, a infeção é transmitida da mãe para as crias, durante o parto ou amamentação. O contacto sexual não é o meio principal de disseminação do FIV.

Como é que o FIV provoca doenças nos felinos?

O FIV infeta as células do sistema imunitário (células sanguíneas brancas), comprometendo a sua função normal. Isso significa que, à medida que a doença evolui, os germes presentes no ambiente quotidiano, que normalmente não afetam animais saudáveis, podem causar doenças graves nos gatos com um sistema imunitário debilitado devido ao FIV. Essas infeções secundárias são responsáveis por muitas das doenças felinas associadas ao FIV.

Apesar de não haver sinais específicos associados ao FIV, os alertas típicos incluem:

  • • Perda de peso
  • • Letargia
  • • Febre
  • • Gengivite e estomatite (inflamação das gengivas e boca)
  • • Nódulos linfáticos aumentados
  • • Doença de pele, intestinal, respiratória ou ocular, crónica ou recorrente
  • • Doença neurológica (em alguns gatos, o vírus pode afetar o cérebro)

Quais os tratamentos disponíveis?

Os objetivos principais na gestão do estado de um gato FIV positivo são, primeiro, evitar a disseminação da infeção a outros gatos e, segundo, manter uma boa qualidade de vida para o gato infetado. Os gatos com FIV devem ser esterilizados e mantidos dentro de casa para reduzir o risco de lutas e transmissão da infeção. Para além de alimentar o animal com um alimento de excelente qualidade, é muito importante manter a saúde do animal mediante vacinação e controlo regular de pulgas e parasitas internos. Evitar alimentos crus ajuda a evitar a exposição a patogénicos que podem ser prejudiciais para o gato. Alguns medicamentos antivirais utilizados nos pacientes humanos com infeção por HIV (como os interferões e AZT) têm-se revelado úteis para os gatos infetados com FIV, mas têm a desvantagem de serem caros.

Pode ser transtornante receber o diagnóstico de FIV positivo do seu gato, no entanto, saiba que com cuidados preventivos de qualidade e apoio do veterinário, a maioria dos gatos vive feliz durante muitos anos.

A perda de pelo nos gatos

DESCUBRA O ALIMENTO PRO PLAN® PARA O SEU GATO