Saúde urológica felina

A Doença do Trato Urinário Inferior Felino (DTUIF) é um termo utilizado para descrever uma série de doenças que afetam a parte inferior do trato urinário (bexiga e uretra). Como acontece com qualquer animal, a saúde urológica felina é um assunto sério. A obstrução da urina pode ser por demais dolorosa e constituir perigo de vida para os felinos, logo, se forem notórios sinais de desconforto ou incapacidade de urinar, é essencial procurar assistência imediata do veterinário. A DTUIF é uma doença comum e complexa que envolve componentes clínicos e comportamentais e raramente apresenta uma única causa.

Sinais de problemas de bexiga nos gatos

Os sinais de problemas de bexiga incluem esforço para urinar, micção dolorosa (que leva o animal a chorar quando utiliza a caixa de areia), lamber a zona genital com frequência, sangue na urina, produção reduzida ou inexistente de urina após grande esforço e, em alguns casos, a perda do discernimento no uso da caixa de areia. Dado que pode ser um problema muito grave e representar perigo de vida, particularmente nos gatos macho, contacte o veterinário imediatamente se observar algum desses sintomas.

Causas

Existem diversos motivos para a dificuldade na micção. Entre eles, incluem-se:

  • Cistite idiopática: é uma doença comum que provoca uma inflamação dolorosa na bexiga. A inflamação da bexiga provoca a eliminação de proteínas e sangue na urina, o que pode bloquear a uretra do gato macho. Trata-se de uma complicação que incorre em risco de vida.
  • Cálculos (pedras) na bexiga nos felinos: é um problema menos comum. Os gatos podem sofrer de diversos tipos de pedras na bexiga (as mais comuns sendo a estruvita e o oxalato de cálcio), capazes de provocar obstrução uretral nos gatos macho.
  • Anomalias anatómicas: existe a possibilidade de o animal nascer com uma anatomia do trato urinário inferior anómala ou, por outro lado, de desenvolver anomalias em consequência de traumatismo. Os sintomas dependem da localização e do tipo de anomalia presente.
  • Infeção bacteriana do trato urinário: de ocorrência muito rara nos gatos que não apresentam outros problemas de saúde. Os gatos com doenças como diabetes ou doença renal podem ser mais suscetíveis a infeções, contudo, trata-se de uma causa primária muito rara para a DTUIF.
  • Idade e peso: os gatos com excesso de peso e/ou os gatos idosos, bem como os gatos com um estilo de vida stressante, podem igualmente sofrer complicações urológicas. É sabido que a cistite idiopática piora com situações de stresse, como mudanças de casa, novos elementos felinos ou humanos no lar e até mesmo condições climatéricas adversas.

Diagnóstico

O veterinário realiza alguns testes para confirmar o diagnóstico específico. Podem ser realizadas análises ao sangue para excluir problemas subjacentes e é recolhida uma amostra de urina para testar a presença de células inflamatórias, sangue e cristais, bem como para avaliar a concentração da urina.

Tratamento

Se o seu gato sofrer de obstrução da uretra, é necessária uma intervenção urgente do veterinário para remover o bloqueio. Com o animal sob forte sedação ou anestesiado, é introduzido um cateter urinário para remover a obstrução e permitir o fluxo regular de urina. O gato pode precisar de fluidos intravenosos (mediante administração de soro) e de mais medicação, podendo ser necessária hospitalização por vários dias. Pode ser necessário remover cirurgicamente os cálculos na bexiga e alguns tipos de pedras exigem alterações na dieta. Nos casos raros de infeção bacteriana, pode ser necessário receitar antibióticos. A cistite idiopática constitui um desafio no que respeita ao tratamento e envolve as seguintes abordagens:

  • • Alívio da dor: a DTUIF, independentemente da causa, implica muita dor e transtorno para os gatos. A dor agrava a contração da uretra, logo, aumenta igualmente a probabilidade da ocorrência de obstruções.
  • • Medicamentos: destinam-se a relaxar a uretra do gato macho para impedir ou tratar obstruções. O veterinário pode receitar medicamentos para fortalecer o revestimento da parede da bexiga. Consoante cada caso individual, pode ser considerada medicação adicional.
  • • Redução do stresse: o stresse influencia a cistite idiopática, logo, se for relevante discutir com o veterinário possíveis causas de stresse, pode ser necessária uma consulta com um especialista comportamental. Os tratamentos à base de feromonas sintéticas podem diminuir a ansiedade, encontrando-se disponíveis no veterinário. O exercício saudável também ajuda a aliviar o stresse.
  • • Redução da concentração da urina: consegue-se, por exemplo, mudando de ração seca para ração húmida, ou adicionando um pouco de água à ração húmida.

A DTUIF constitui um desafio no que respeita ao tratamento e exige muita paciência. Pode ser necessário pensar na redução do stresse no quotidiano do animal e, também, consultar um veterinário especialista comportamental no caso de verificar alterações significativas no comportamento do gato.

Cuidado oral dos gatos

DESCUBRA O ALIMENTO PRO PLAN® PARA O SEU GATO